Pra te dizer que nada mudou: tudo continua no mesmo lugar, ninguém se apossou. Teu lado da cama ainda é teu. Tua manta guardada, aquela vista lá de cima, o pano sujo no varal e as nossas músicas. A gente nunca se machucou. Lembra daquele “a gente volta mais pra frente?”. Chegou. Não acredito em amor na prática, nem você em mim. A nossa falta de crença é que nos leva na mesma direção; a tua inocência e a nossa imaturidade. Eu me orgulho de você e você de mim. Sem que ninguém precise entender, somo mais do que podem ver. Eu não falo de amor entre nós dois, mas sempre vou falar de parceria.

7 Response to

Anônimo
15 setembro, 2012

" nossas sombras nos asfalto feito de irmãos siâmeses !"

Anônimo
16 setembro, 2012

Pra te dizer que também nada mudou.

16 setembro, 2012

Valeu, mas não.

Anônimo
16 setembro, 2012

Oh, vampire!

Anônimo
16 setembro, 2012

O amor comeu minha paz e minha guerra. Meu dia e minha noite. Meu inverno e meu verão. Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte.

Anônimo
17 setembro, 2012

queria te entender

Anônimo
17 setembro, 2012

idem

Postar um comentário

 

Copyright © 2009 Oh, Maria... All rights reserved.