Interlúdio ante à perversão


Tardo mas não falho
Falo do verbo concreto
Incrédulo partidário da oligarquia
Sujeito à prova de fogo que testa a própria alma
Reverso à taxonomia que diverge o próprio umbigo:
Nasceu com reina na barriga?
Agora aborta
O mundo te deixou a revelia
Gira distante e obstante do teu ego
Fatídica epopéia
Cheio de drama
Disserto em trama na próxima estrofe
Que proclama livramento
De qualquer teoria livre da idéia do discernimento:

“Chegaste e não era bela
Atendia pela alcunha de vadia
Mas dentro dela tinha mesmo eram mil corpos
Destes que dentro de cada ofensor
Não valia nem um terço de cada corpo
Que nela habitavam
Repletos de regalia:
Um queria ser sábio enquanto o outro só queria foder
Chegado conflito onde ela dizia a hora certa de ser sábia
A hora certa de foder
Nenhum corpo interferia na razão
Pois sozinha, apesar de pouco bela e vadia
Era sábia
E ela sabia
Que de cada corpo
Absorvia mais que porra
Sangue, suor & saliva”
E apesar de feito homem
Não pensava com o caralho
Pensava logo com o coração.”


Dito e feito
Sem que tomasse tempo
Provaste o ponto de vista
Com muito travessão e pouca exclamação
Afinal não era efusiva
Quase morta enquanto temia se defender
Agora era ela ou era eu
Olhei bem nos olhos e vi o quanto bela
E apesar de vadia
Agora era ela
De longe parecia dama
Seus olhos de louca eu disfarçava com um abraço
Pois apesar de vadia
Era dócil e me queria. 


[O mundo parou
Pois já não girava sob ela ou sob eu
Pari o rei e adotei humildade
Distante de qualquer complexidade abundante
Conheci a realidade dos corpos e d’alma
Era mais do que eu sonhava]


Quem diria?

9 Response to Interlúdio ante à perversão

vaza
24 setembro, 2012

vou picar a mula pq tá ficando tarde

Anônimo
24 setembro, 2012

Agora já passa da hora, tá lindo lá fora
Larga a minha mão, solta as unhas do meu coração

Epiménides
25 setembro, 2012

a afirmação anterior é falsa

Messias
25 setembro, 2012

Só Ele salvará seu povo de seus pecados

Avião
25 setembro, 2012

Pegue sua boneca e vê se vai brincar

25 setembro, 2012

Não entendo seu problema com a juventude. Eu, particularmente, aos 25 anos, não faço a menor questão em transparecer maturidade. Vai se tratar.

Anônimo
25 setembro, 2012

Let's go everybody together.

27 setembro, 2012
Este comentário foi removido pelo autor.
dieforyou
28 setembro, 2012

Apaguei, queimei, rasguei e joguei fora várias coisas que queria te dizer. Nunca parece suficiente, acho que não sou suficiente pra você. Mesmo meu maior amor não seria capaz de te trazer pra mim. Meu destino é ser só, e eu ainda choro por isso.

Postar um comentário

 

Copyright © 2009 Oh, Maria... All rights reserved.