A chama é linda aos olhos de quem a admira de longe. Todos querem se aquecer, mas acabam se queimando.

Caótica: dentro de mim se movem  mil corpos. Por isso tenho febre; beira aos 40 graus. É meu peito que arde, é o sangue quente, a veia latente. Você se queimou? Perdoe, mas eu não posso mudar. Experimente respirar fundo, então tome um banho gelado e me procure. Mas não me cobre simplicidade. Apenas use ao seu favor, para lapidar sua frieza e tornar-te um pouco mais cativante. Não me entenda mal, você até me parecia incrível. Mas completamente morno. De morno à frio. Então você me pergunta: "se tão frio sou, porque disserta em linhas sobre mim?" Não escolho ao certo sobre que disserto, não prometo veracidade, quiçá sinceridade. Mas nas entrelinhas... Ah, as entrelinhas. Eu não sou palavras, meus sentimentos não são narrativas. Mas teu silêncio é teu vazio. Ai, e como enoja tua distância das coisas quentes. Eu tenho um pouco de pena. Ora de mim, outrora de você. Pensei que soubesse quem sou. Pensei que soubesse ao que veio. Aqui não se samba miúdo, não se fala baixinho, não se faz carinho. Aqui não tem suspiro. Eu só respiro. Ofegante. 

7 Response to A chama é linda aos olhos de quem a admira de longe. Todos querem se aquecer, mas acabam se queimando.

Anônimo
12 setembro, 2012

TOMA!

Anônimo
13 setembro, 2012

Virtualmente quente, o que também não é nenhuma vantagem.

13 setembro, 2012

Mais um caso de "sabe da minha vida, mas não sabe quem eu sou". Anônimo, move on. Se em algum momento transpareço fria é pq algo me fatiga e desperta enorme preguiça. Apenas MOVE.ON.

20 setembro, 2012

Absolutamente perfeito.
Como alguém denomina fria a dona das palavras mais quentes e dos textos mais envolventes que ja li na porra da vida rs?
Como se classifica um ser tão complexamente intenso, apenas pelas breves linhas que lê?
Paixão platônica sim, mas por todos estes textos que leio incansavelmente.

21 setembro, 2012

Aqui não tem como curtir comentário, ne? haha. Agradeço de coração, não somente pelo elogio, mas por ver com os olhos da alma aquilo que é implícito e sutil. A ignorância trava. Empaca os seres, isso que me cansa e me enoja, mas também me impulsiona a escreve. Pra ver se eles captam um pouquinho daquilo que vai além do tátil. (:

Jéssica
21 setembro, 2012

haaaa que lindinha, que bom que gostou. As vezes queria que vc morasse em SP rs, renderia algumas cervejas e horas de diálogos.

21 setembro, 2012

Não moro, mas tenho amigos a visitar e as vezes eu vou. Na próxima (ainda esse ano) te aviso (:

Postar um comentário

 

Copyright © 2009 Oh, Maria... All rights reserved.