Transcender e renovar

Perdeu muito tempo chupando os paus errados. Não que houvesse encontrado o certo. Mas se perdeu e tudo que aprendeu mediante as coisas que envolvem amor, aprendeu um pouco tarde. Sabe onde foi aprender a viver? Na inocência e na simplicidade. Nas palavras duras e sinceras. Na negação que, diante dos olhos de quem tudo pode, por um instante percebe-se impotente, surge a maturidade que lhe inclina à triste realidade: o mundo do outro, não girava ao seu redor. Causou estranheza a primeira instância. Causou fixação e de repente, poderia passar o resto da vida chupando aquele mesmo pau, fodendo com aquela mesma pessoa e seria sempre incrível. A vida é um pouquinho mais que essa sensação. Parece loucura, pensou. Mas aprendeu o que lhe faltava para ser uma mulher incrível em alguém tão pouco provável. Talvez as chances de crescimento estejam exatamente onde menos esperamos. Tem que saber extrair. Ouvir. Ninguém se cruza em vão. O sexo não é só corpo. Tem alma nisso, cara. Você consegue ver? Aquela alma...ela queria engolir pra absorver toda essência admirável. Estudou cada milímetro daquele corpo, absorveu cada fluido que exalava pelos poros, leu cada linha de sua expressão, sentiu a última alma que ousaria sugar pra se tornar a mulher mais incrível que já ouviriam falar e partiu. Ela não sabia, mas levou dele muito mais do que deveria. Uma nova vida talvez. Vai causar muita dor por aí, mas alguém ainda vai sorrir.

1 Response to Transcender e renovar

Anônimo
15 julho, 2012

clap!clap!

Postar um comentário

 

Copyright © 2009 Oh, Maria... All rights reserved.